Precedentes

Com a decadência e desativação do Vasco da Gama, fundado em 1932, que teve como seu último presidente o senhor Odorico Reis de Almeida, surgiu em 1942 o Alegria Esporte Clube (uma alusão a Rua da Alegria), desarticulado no ano seguinte quando foi transformado em Santa Cruz Esporte Clube, de vida curta, e logo sucedido pelo São Raimundo Esporte Clube.

 

O jogo do Santa Cruz que entrou para a história

Domingo, 29.08.1943, à tarde, na comunidade de Igarapé Açu, atual São Braz, amistoso: São Braz 1×3 Santa Cruz(São Raimundo ?)- Árbitro Paulino Silva- 1×0 Gerson, 40; 2×0 Pé de Chumbo, 43/3×0 Nezinho, 30 e 3×1 João(SB), 45. Santa Cruz com Domingos Roque- Nonato e Moacir- Beci, Valdomiro e Pé de Chumbo- Valdemarino, Nezinho, Gerson, Valentim e Tapioca. Obs: Para este jogo o Santa Cruz fez a estréia de uma bola com câmara de ar. Até então treinava apenas com bolas de borracha, que ganhavam o apelido de “puruí”, pois logo ficavam “bicudas”.

 

O ano da fundação

Em 03.01.1944, segunda-feira, uma comissão formada por David Natanael; Valdomiro Pinto e Gerson Marinho, se dirigiu à residência de Odorico Reis de Almeida e o convidou para assumir a presidência do clube, pelo qual já demonstrava sua simpatia publicamente. O convite foi aceito e logo marcada a reunião de apresentação e posse.

No dia 06.01.1944, quinta-feira, dia de Reis, na residência do próprio Odorico Almeida à Rua da Alegria, ocorreu a reunião em que a nova diretoria foi escolhida e empossada, com Odorico Reis Almeida na presidência e a manutenção dos outros associados nos cargos para os quais foram eleitos anteriormente. Valdomiro Paz Pinto como Secretário; Gerson Marinho da Silva como Tesoureiro e David Natanael Barbosa dos Santos como Diretor de Esportes. Após o ato de posse, o novo presidente deliberou logo sobre a compra de um livro de atas, bem como quanto a fundação oficial do S RAIMUNDO, marcando para o domingo seguinte o evento solene.

 

A fundação do São Raimundo Esporte Clube

Dessa forma no dia 09 de janeiro de 1944, domingo, numa Assembléia Geral realizada na Rua da Alegria (atual 24 de Outubro nº 1601/Residência de Odorico Almeida), quase esquina com a atual Travessa Assis de Vasconcelos, às 20h00, foi oficialmente fundado o São Raimundo Esporte Clube, tendo como membros de sua primeira diretoria os senhores: Odorico Reis de Almeida, Presidente; Adamor Bibiano Ribeiro Macedo, 1º Secretário; Roosevelt de Pinho Gonçalves, 2º Secretário; Francisco Carlos Pereira, 1º Tesoureiro; Valdomiro Pinto, 2º Tesoureiro e David Natanael Barbosa dos Santos, Diretor de Esportes. Presentes ao evento eleitoral, além da Diretoria eleita, dentre outros, Ray Jennings, Valdo Marino, Miró, Gerson Marinho, Orlando Cota, Nego Otávio, Valentim, André Pimenta, Água Preta, Osmar Cota, Pé de Chumbo, Domingos Tapioca, Noronha, Dedé, Pingo, Perpétuo e Cassete. O uniforme, a princípio predominantemente na cor branca, além da influência dos uniformes oficiais do Santos Futebol Clube, de São Paulo e da própria Seleção Brasileira, se tornava mais fácil adquiri-lo no mercado da época. A sede provisória passou a ser a residência do próprio Odorico Reis Almeida na atual Rua 24 de Outubro, local da fundação.

 

O nome São Raimundo

Além de uma maciça simpatia em prestigiar o padroeiro do bairro da Aldeia, um outro fato foi preponderante à denominação do novo clube, sobre o qual assim se reporta o fundador David Natanael Barbosa dos Santos: “Através de ofício enviado pelo presidente do São Braz Esporte Clube, de Igarapé Açu, senhor Cazuza Damasceno, o Santa Cruz Esporte Clube foi convidado a jogar uma partida amistosa na atual vila de São Braz, no domingo, 29 de agosto de 1943.

Para responder o ofício-convite, o secretário Valdomiro Paz Pinto solicitou ao senhor Odorico Reis de Almeida, um forte simpatizante do clube, para em nome do presidente, senhor Domingos Roque, elaborar e remeter o ofício resposta, cujo conteúdo assegurava que o convite tinha sido aceito.

Naquele tempo, a estrada para a citada vila não oferecia condições para o tráfego de veículos motorizados. Apenas, em estado precário, trafegavam por ela carroças puxadas a bois. Por isso, no domingo do jogo, a caravana partiu a pé de Santarém às 13h00 das proximidades da residência dos irmãos Paz Pinto, na Aldeia, com a chegada ocorrendo por volta das 15h20. A delegação logo se encaminhou para a sede do São Braz onde foi cordialmente recepcionada. Às 16h00 as equipes adentram ao campo e no momento dos cumprimentos o time local se dirige aos visitantes para a surpresa de todos como “São Raimundo”. A partida, dirigida por árbitro e auxiliares da própria comunidade, tem início e os jogadores do “Santa Cruz” se questionavam o porquê de “São Raimundo”. No intervalo, não controlando a curiosidade, um grupo de jogadores foi ao capitão do time do São Braz questioná-lo sobre o assunto e este respondeu que “Nos convidamos o Santa Cruz para este jogo, mas…, não é São Raimundo o nome do clube de vocês?” Houve quem respondesse que não, e ao mesmo tempo afirmava que o clube chamava-se Santa Cruz Esporte Clube. Desapontado, o capitão retrucou: “mas no ofício que recebemos de vocês esta escrito São Raimundo, querem ver?” Indo à sede do clube retornou com o dito ofício nas mãos e provou que em vez de Santa Cruz estava de fato São Raimundo, a propósito ou não do senhor Odorico Almeida.

No dia seguinte, segunda-feira, 30 de agosto, às 20h00, no local de costume (residência dos irmãos Valdomiro e Valdemarino Paz Pinto) e com a presença do convidado Odorico Reis de Almeida, aconteceu à reunião ordinária e o convidado questionado quanto ao assunto assegurou ter consciência de haver escrito no ofício Santa Cruz e não São Raimundo, convencendo-se do equívoco somente após o testemunho de todos os atletas que viram o ofício no intervalo do jogo diante do São Braz. Diante do episódio, que para uns tratava-se de uma mensagem superior, imediatamente surgiu à proposta de mudança do nome do Clube. Afinal, os defensores da idéia asseguravam, São Raimundo é o padroeiro do bairro; como São Raimundo vencemos do São Braz e estamos no dia dedicado ao Santo. Colocada em votação, a proposta foi aprovada com júbilo”.

 

Sócios fundadores do São Raimundo

01- Odorico Reis Almeida; 02- Astésio Miranda; 03- Valdemarino Paz Pinto; 04- Moacir Paz do Nascimento; 05- David Natanael Barbosa dos Santos; 06- Domingos Roque; 07- Domingos Santos(Tapioca); 08- José Francisco Mota; 09- Nonato Paz do Nascimento; 10- Raimundo Jennings; 11- Gerson Marinho da Silva; 12- Francisco Paz do Nascimento; 13- André Pimentel; 14- Raimundo Estevão de Matos; 15- Orlando Cota Campos; 16- Vicente Valentim; 17- Cipriano Jovita de Matos; 18- Osmar Cota Campos; 19- José Maria Calandrini de Azevedo; 20- Elias Ribeiro Pinto; 21- Edgar da Paz Vieira(Pingo); 22- Sebastião Sousa; 23- Ivan Caubi Bentes Monteiro; 24- Iracy Bentes Monteiro; 25- Raimundo Correia; 26- Antônio Mota da Silva(Pé de Chumbo); 27- Astésio Santos e 28- Luiz Lucas.

 

O primeiro jogo

Na data da fundação, à tarde, o São Raimundo enfrentou amistosamente o Luso América da Vila de Arapixuna, no Parque do Paysandu, atual Colégio Batista, em Santarém.

Com a extinção do Alegria e a constituição do Santa Cruz, o elenco remanescente desses clubes passou a ser a pioneira onzena do São Raimundo Esporte Clube com Gerson- Waldomiro e Nezinho- Waldemarino, Moacir e Francisco Nascimento- Manezinho, Tapioca, Domingos Roque, David Natanael e Ceci Nascimento.

 

O uniforme e o novo escudo

Em suas primeiras apresentações o São Raimundo se utilizava do uniforme herdado de seus antecessores. Anos depois, a diretoria providenciou um novo equipamento para o plantel visando a disputa de alguns torneios e o campeonato santareno de futebol que estava por vir.

Inspirada no uniforme da Seleção Brasileira e no do Santos Futebol Clube, bem como em razão disso haver disponibilidade na praça, optou por um uniforme todo na cor branca com detalhes em preto. Daí, o elenco receber por iniciativa dos jornais da época, principalmente “O Jornal de Santarém”, a denominação de “Os Alvos”. Em seguida, mandou providenciar a modificação das iniciais no mesmo escudo em forma de “Cruz de Malta”, em vez de SCEC, SREC, acrescido de um brasão como limite em volta do mesmo.

primeiro_escudo_sao_raimundo

 

O alvinegro

Mais tarde, com o advento das transmissões radiofônicas por conta do surgimento da ZYR-9- Rádio Clube de Santarém, que no dia de sua inauguração em 24.10.1948 – data em que se comemorava festivamente o Centenário da cidade – o “Parque São Francisco” se transformava em estádio municipal “Prefeito Adherbal Correa” com a transmissão do amistoso Seleção Santarena 3×3 Paysandu, de Belém, sob a responsabilidade do pioneiro locutor esportivo, fundador e ex-presidente do clube Elias Pinto, foram iniciadas por este ao microfone as constantes sugestões quanto a um novo uniforme. A inspiradora Seleção Brasileira já estava “Canarinho”. Não tardou a decisão da diretoria em registrar em Ata de Assembléia Geral que o “preto” e “branco” seriam então os tons oficiais do clube e logo o elenco “Alvo” passou a ser chamado de “Alvinegro”.

 

Primeiro título (Campeão Santareno de 1949)

15.01.1950- Estádio Municipal Aderbal Corrêa(Campeonato de 1949- Decisão- Final): S Raimundo 1×0 América- SR, primeiro Campeão Santareno com Gerson Marinho- Otávio e Chicó(André Pimenta)- Orlando Cota, Valdomiro e Zé Queixada(Raimundo Anun)- Noronha, Cacete(Miro), David Natanael(Anastácio Miranda), Elídio(Curuperé) e Guito(Bebé)- Banco: Canjica, Dedé, Sílvio e Nezinho.

 

O primeiro escudo bola

O presidente Moacir Miranda, por ocasião da reorganização documental do clube visando adquirir junto ao prefeito Santino Sirotheau Correa uma área para sua nova sede, campo de futebol e ginásio, bem como o título de Utilidade Pública, encomendou um novo brasão para a agremiação. Segundo o artista plástico Laurimar dos Santos Leal, o novo escudo do São Raimundo Esporte Clube foi forjado na oficina do seu tio, mestre Luciano Lopes dos Santos (localizada na atual Rua Floriano Peixoto, em frente ao Mercado Municipal) quase ao lado da então sede do Clube, de onde saiam praticamente todas as placas e letreiros da cidade, e onde eram aprendizes além do próprio Laurimar Leal, o jovem torcedor sãoraimundino e mais tarde exímio artista plástico Orlando Paiva.

 

O título de Utilidade Pública

Em 16.11.1955, após aprovação à unanimidade pela Câmara Municipal, o prefeito Armando Lages Nadler sanciona a Lei Municipal 954, dispondo sobre o título de Utilidade Pública ao São Raimundo Esporte Clube.

 

O mascote “Pantera Negra”

Tendo o maior rival, São Francisco F Clube, com inspiração no Clube do Remo, abraçado o “Leão Azul” como mascote. O locutor Elias Pinto, torcedor e fundador do São Raimundo, por ocasião da disputa do campeonato de 1957, quanto o time voltou a ser Campeão, através do microfone da Rádio Clube, passou a denominá-lo de “O Pantera Negra”.

 

Novo e atual escudo

Em 24.10.1964, um sábado, o prefeito municipal Everaldo de Souza Martins, decidiu organizar uma ampla programação para comemorar o aniversário da cidade, incluindo nesta o clássico RAIxFRAN (título aplicado por Weimar Reça ao confronto de São Raimundo e São Francisco desde 07.01.1945). Como atração, seria o primeiro jogo noturno da história de Santarém pois o prefeito faria a inauguração dos refletores do estádio “Prefeito Aderbal Correa”. A iluminação só foi possível, mesmo muito precária, graças ao grupo gerador cedido pelo associado do São Raimundo Antonio Fonseca Capiberibe (Saco de Pirão). Para o jogo festivo a diretoria, tendo a frente o presidente Felipe de Sousa Filho, providenciou novo uniforme e mandando redesenhar o escudo “bola” (atual) admitido pelo clube dez anos antes.

 

 

Texto: Oti Santos
Torcedor do São Raimundo, Jornalista e Advogado